Páginas

domingo, 15 de junho de 2014

ESCOLHA

É de gosto.
É uma preferência.
São diferentes jeitos para se olhar determinados momentos.
É um bocado de coisas. É dúvida e certeza. É o tudo e o nada. É para nós, mais um motivo de prosa.




por D.Q.



Um rabisco num papel, mesmo com um simples lápis, a borracha que o apaga não consegue por completo ocultá-lo, sempre fica aquela marquinha, o que se escreve por cima, fica até mais forte, perceptível ação sobre a folha.
Mover-se no mundo exige ação, um toque no tempo-espaço, uma pincelada de proposição na vida. Isso é escolha, um jeito irrevogável de agir no mundo, inapagável. Não, não me refiro às escolhas certas ou erradas, isso cabe a cada um o seu próprio desatino. Falo desse corpo, que se mexe, que se pergunta e que ousa responder. Que se cala, se esconde, que de algum modo age, porque afinal, até mesmo não escolher já é uma ação no mundo.
por J.G.


Lembro bem quando te conheci, eu estava caminhando sem destino quando meus olhos avistaram você naquela estrada. Eu estava nua e teu sorriso pareceu me vestir tão bem. Fechei meus olhos pra tentar te ver melhor e eu contemplei a beleza. Quando você continuou a caminhar, pensei em seguir todos os sonhos que me conduzia, mas eu já andei por aquela estrada, sei onde ela me levaria e eu não quero encontrar a desilusão novamente. Se caminho sem destino agora foi porque ontem fiz dali minha escolha. Então, ainda que meu coração grite pra te acompanhar, não posso dar o trabalho à minha mente de tentar me erguer. Não te ter me mata, mas meu livre arbítrio escolhe viver na eternidade.
por S.S.

10 comentários:

  1. As escolhas nos diferem e nos tornam seres únicos. É o livre arbítrio que nos torna humanos e senhores de nossos caminhos.

    Apagadas, reconstituídas, ousada, seja quais forem as escolhas que sejam feitas e vividas da forma mais plena e honesta.

    ResponderExcluir
  2. Sim, as escolhas nos determinam... Como pontuou tão bem D.Q: "É o tudo ou nada". Eu penso que quando encontramos alguém, por quem vale a pena nos possibilitarmos escolher, devemos nos lançar, acho que a dúvida em ficar estática machucaria mais do que escolher e sofrer. Beijos.
    sub helena

    ResponderExcluir
  3. Há sempre um caminho novo e se o velho nos faz mal, é pelo outro que devemos optar. A nossa escolha mais errada (e constante) é insistir na ferida aberta. Isso faz a dor se tornar maior do que de fato é!
    Mas a gente sempre fica com um pé atrás. E se... Não poderia ser diferente? Poderia, mas nunca vamos ter certeza. A vida é mesmo assim! Uma charada atrás da outra!


    Beijos em vocês. Vida de luz e literatura.

    ResponderExcluir
  4. As escolhas podem nos salvar ou podem nos ferrar. Depende muito do ponto de vista de cada um, da sorte.

    ResponderExcluir
  5. O que me vêm a mente quando penso em "Escolha", é o que vem antes dela: Consciência? Responsabilidade? Medo? Segundo o autor pós-moderno Zygmunt Bauman, quanto mais liberdade conquistarmos, menos seguros nos sentiremos. "A torneira seca (mas pior: a falta de sede) A luz apagada(mas pior: o gosto do escuro) A porta fechada (mas pior: a chave por dentro)". A leitura que faço desse poema Poema de José Paulo Paes, é a renúncia que fazemos de fazermos escolhas. Secura, escuridão e prisão não são fatores externos, mas, passam a fazer parte de nós. Quando nossa falta de sede traz a secura, quando gostamos do escuro, quando nos falta vontade de girar a chave. Por mais dura que a realidade se apresente a nós, conforme Sartre, "o que importa não é saber o que fizeram de nós e sim o que fazemos daquilo que fizeram conosco".

    ResponderExcluir
  6. Cheio de sabedoria o texto,amei isso! ;)
    Um Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Um belo texto e cheio de sabedoria amei. Peço desculpa por andar fugido, mas é por motivos de saúde e recomendação Médica de não estar muito tempo no computador.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  8. Nem sempre acertamos nas escolhas. Mas, se chorei ou se sorri...o importante é que emoções eu vivi...

    Ótimo texto!

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. A borracha não tem o poder de apagar a memória. Assim buscamos a catarse. Belo texto!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...